Fotografia em RAW, UniWB e resultados obtidos.

Este é um mini-tutorial sobre a técnica de captura visando diminuição de ruídos em altos ISO’s e baixa luminosidade.

A técnica consiste em melhorar a captura de nossas fotos usando a melhor exposição possível (em qualidade) para que desta forma tenhamos mais informação disponível em nossas fotos.

Vale lembrar que destina-se em fotografias no formato RAW, pois é sobre este formato que as capturas têm mais qualidade.

Trata-se do que costumeiramente chamamos de “expor à direita” ou na língua inglesa (onde existem muitos artigos à respeito “exposure to right”.

Para isto, devemos antes de tudo ter o histogramam nos mostrando as verdadeiras informações sobre nossas fotos, e para isto, utilizamos a técnica de unificação dos wb, do raw e do jpeg embutido nele quando visualizamos o lcd de nossas cam’s.

É o chamado UniWB, ou WB unificado para o sistema raw.

1- O que é a técnica:

O UniWB é o wb unificado para captura em raw.

No sistema convencional de wb o histograma mostrado após a captura não é um histograma real, visto que a câmera nos mostra um jpeg acoplado ao raw para visualização das fotos no lcd.

Nos é mostrado então o histograma deste jpeg acoplado.

Ao pegar histograma real de qualquer foto feita no sistema de wb convencional, vc vai perceber que ainda existia mais capacidade de exposição da foto, e que não foi efetuada porque não se usou, na captura, as informações reais do histograma .

Ou seja, não se conseguiu extrair da cena a melhor fotometria visando expor corretamente a cena, porque ainda existe espaço para se avançar no histograma.

E explorar isto é encher o máximo possível a curva do histograma, deixando-o com o máximo possível de informação.

É o que chamamos expor à direita, para aproveitar estes pixels (pixels=informação e + informação=melhor foto).

No UniWB o histograma mostrado é o real histograma do raw.
Desta forma eu posso controlar minha exposição ao limite máximo anterior ao estouro das altas luzes.

2- O que buscamos?

O máximo de informação possível nas baixas luzes, porque tendo esta zona legível as zonas de altas são facilmente retornáveis via conversor.

Retornáveis significa dizer valores negativos em Exposure e/ou em Recovery.

Estes valores são setados em negativos porque quando formos abrir o raw no conversor todas as luzes ficarão erradamente estouradas.
Estouradas do ponto de vista inicial, mas totalmente legíveis quando adotamos o procedimento de recuperar estas informações.

O ‘truque’ é fazer com este histograma seja o mais longo possível.
Que encoste o máximo possível do lado direito da tela, mas SEM ultrapassar este limite, que é o que se fala muito de expor à direita.

Procurem na Internet literatura que fala sobre “Exposure to Right”, tem muita coisa interessante.

Quanto mais longo mais informação.

Quanto mais informação melhor o resultado da captura e melhor o resultado final.

Vale dizer uma coisa …

O UniWB não tem função alguma a não ser nos mostrar o real histograma do raw, que é onde nos basearemos para levar a exposição das fotos à direita, o máximo possível ANTES do estouro.

3- Como setar o UniWB:

Ponha uma tampa na lente e fotografe.
Pegue este valor de temperatura fornecido pela cam e sete como WB padrão.
Ou fotografe um céu azul, ou nublado, com uma exposição longa e c a lente toda aberta (1 segundo em f/1.4, por exemplo).

Sete o valor.

Prontinho, está configurado o UniWB, que deixa o jpeg acoplado usado para visualização com aparência verde.

Isto ocorre porque é natural, já que a matriz de bayer contém 2 pixels verdes para cada pixel azul e vermelho

O histograma é onde nos calçaremos para saber até onde podemos ir à direita do gráfico, apenas para isto.

Esqueçam a aparência (verde), importem-se com a informação.

Depois de capturada com qualidade, aí sim o próximo passo é ajustar no editor/conversor a aparência final.

É bom frisar que o gera o ruído na maior parte das vezes é o levantamento dos tons, ou seja, por exemplo, fazemos uma foto em iso 1600 e usamos uma configuração X.

Quando olhamos a foto no conversor vemos que ela está subexposta.
O que fazemos?

Vamos lá em exposure e setamos, por exemplo, + 0,75 para ela chegar no tom correto.
Este procedimento gera ruído.

Ao contrário não, porque a captura já levou em conta este aspecto.
Se temos uma foto aberta num conversor e ela está superexposta … ótimo.

Desde que esta superexposição seja contornável na edição.
Para sabermos se é contornável ou não usamos o histograma como parãmetro de informação, baseando-nos por ele.

E, para termos o REAL HISTOGRAMA DO RAW, só através do UniWB, porque o histograma do jpeg acoplado ao raw é falso, pois trata-se do HISTOGRAMA DO JPEG.

Apenas a título de informação, aqui vai a minha captura original de uma foto setada com UniWB e seu posterior resultado depois de tratada:

a- Captura Original em UniWB.

UniWB

b- Foto tratada, via editor LR.

UniWB tratado.

4- Equipamento utilizado:

4.1- DSLR Sony Alpha 700.

4.2- Objetiva Super Takumar 35/3.5.

***

Obrigado por ver.

Anúncios

23 comentários sobre “Fotografia em RAW, UniWB e resultados obtidos.

  1. Este tutorial está ótimo, Peri.

    No caso das Pentax, setar com lente fechada não dá certo, porque com tudo preto a câmera não aceita aquilo como imagem e dá NG (Não Gravado). Então é preciso fazer com superexposição de céu, queimando todos os canais.

  2. Fala Peri. Muito interessante o seu blog.

    Não conhecia a técnica de UniWB apesar de já estar familiarizado com os conceitos de expor à direita. Ontem mesmo já realizei uns testes e achei muito bacana o controle do histograma.

    Parabéns pelo blog que, além de trazer belíssimas imagens e composições, traz sempre novas discussões técnicas.

    Abraço.

  3. Peri, por favor, me tire uma duvida, ao clicar com a tampa, deixo o indicador do fotometro em zero? (meio da escala)

    Onde voce pega a leitura da temperatura, no Camera Raw?
    Ja tentei, mas nao consigo pegar este valor na câmera (pode ser que esteja fazendo errado rsrsrsr)

    Abracos

    • A minha câmera possui uma função em que se pode configurar o wb manualmente.
      Eu ponho nesta função e então faço a foto com a tampa fechada.
      A câmera me indica que este wb é “errado”, mas o uso (o escolho como wb de uso) assim mesmo.
      Eu uso uma Sony Alpha 700.

  4. Eu tambem tenho diversas opcoes de configuracao do WB inclusive, setar este valor manualmente, mas ela nao me indica o valor do WB da foto (apos o click) mas acredito que o valor demonstrado no Camera RAW deve servir para a funcao.
    Abracos er boa pascoa

  5. Mas peri, e o indicador? fica centrado na barra de exposição com a tampa fechada?
    como que se expõe a “cena” para a foto parâmetro nos dois casos (do céu e da tampa)? Foi a única falha que achei na explicação rs… o resto está minuciosamente muito bem explicado e intendível rsrs.
    abraços

    • Não existe uma ‘foto-parâmetro’.
      O clique é apenas para configurar o wb, e aproveitando-se os valores que a máquina fornece para o wb quando se clica com a tampa fechada ou superexposta no céu, por exemplo.

  6. O indicador da exposição fica em que posição (nos dois casos) para a foto parâmetro Peri?
    Só faltou essa informação, o resto está minuciosamente muito bem explicado.
    Abraços

    • Boa noite, Alexandre.

      As imagens foram corrigidas.

      Sobre a publicação em espaços fora daqui, podem ser feitas pequenas chamadas com indicações através de links para o artigo original, e impreterivelmente citando-se a fonte da informação.

      Se houver republicação favor me enviar o link da postagem.

      Um abraço.
      Peri.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s